1/6

"A IGNORÂNCIA É A MÃE DE TODOS OS MALES. ELA É PRAGMÁTICA. NÃO PENSA. PORTANTO, CORTA NOSSO CORDÃO UMBILICAL COM A TERRA, COM A NATUREZA, PELO MEIO, DEIXANDO TODA A NOSSA FRAQUEZA EXPOSTA, REMEXIDA, TORTA, VULNERÁVEL. PERDEMOS O BELO VÍNCULO, FICAMOS DE LADOS OPOSTOS. E NA MENSURAÇÃO DAS FORÇAS, PERDEMOS SEMPRE... E MAIS."

– Ivan Lins 

Cantor & Compositor

  

DESTROÇOS (2011)

Seis meses após os deslizamentos que destruiu famílias, lares e a segurança da vida até então conhecida para os moradores das áreas afetadas na região serrana do Rio de Janeiro no início de 2011, os habitantes das casas que resistiram - total ou parcialmente - à força da natureza seguem vivendo as suas vidas naquela área de risco enquanto aguardam o auxílio das autoridades.

 

Em meio a escândalos de corrupção causados pelos desvios de doações e verbas destinadas às vítimas da tragédia, famílias seguem vivendo as suas vidas tendo como quintal um cenário de morte e destruição. Crianças crescem e brincam entre destroços e fragmentos de vidas que descansam enterradas e soterradas em meio ao mar de lama que ocupou todos os espaços vazios que encontrou pelo caminho.

Feita na cidade de Teresópolis pela autora Bruna Ramos da Fonte, a série Destroços denuncia o descaso das autoridades com as vítimas dessa tragédia, que levariam anos para que fossem removidas das áreas de risco e realocadas em locais seguros e dignos. A série propõe ainda uma reflexão acerca da relação do homem com a natureza e as consequências que o desequilíbrio desta relação vem causando no planeta.

© BRUNA RAMOS DA FONTE  •  2020